Sonya Azevedo
Essência em versos e prosas
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato
Textos





Meus Blogs

http://pegadasdovento.blogspot.com.br

http://jacintosdaalma.blogspot.com.br

http://nascentesdeluz.blogspot.com.br

Música
http://youtu.be/Po8J4NBdiSc



Agradeço ao amigo Fernando da Cunha Lima pelo seu carinho
Abaixo este magnífico soneto de sua autoria.

SAX SOLITÁRIO

Se a noite embala o meu travesseiro,
E a chuva ajuda-me com o cobertor,
Comparo o seu chorar com a minha dor,
Antes que caia o pingo derradeiro.

Deitado, seu concerto verdadeiro,
É aquele que deriva do amor,
Cujo sax instrumenta onde for,
Trocando ausências do sonhar primeiro.

A noite embora escura assaz molhada,
Percorre lenta até ser madrugada,
Num canto triste mas que satisfaz.

E seu hacer ferindo os meus ouvidos,
Desperta com seu som os meus sentidos,
Enquanto o sax só, inventa o jazz.

 
Sonya Azevedo
Enviado por Sonya Azevedo em 31/01/2016
Alterado em 02/03/2017

Música: 011 Summertime - Sidney Bechet

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários