Sonya Azevedo
Essência em versos e prosas
Capa Textos Áudios E-books Perfil Livro de Visitas Contato
Textos

 

Meus Blogs

Jacintos da Alma
Nascentes de luz
Pegadas do Vento

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Agradeço ao amigo Jacó Filho, sua magnífica inetração.

Sabendo que tudo passa
E a tristeza também,
A alegria sempre vem
Se teu amor te abraça.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Agradeço ao amigo e poeta Olavo pela sua bela interação.

O tempo que o tempo tem,
É o tempo que a gente tem.
Aproveite esse tempo bem
Enquanto o seu tempo vem.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx


Agradeço de coração por receber da poetisa Cristina Gaspar
o comentário traduzido em belíssimo mimo,
que em muito me encantou.
Grata querida amiga.

"Dentro de ti residem tantos sentimentos
Que fica fácil teus escritos comentar.
Põe com facilidade, abraço dentro d'abraço
Beijos sucumbem fartos em outros beijos
Lírica e sensivelmente me resta te reverenciar."

Aplausos! Muito obrigada pelo carinho e por nos permitir
apreciar o seu talento e criatividade, parabéns, tenha um lindo
e abençoado ano par, deixo sorrisos, abraços fraternos, sombra de parreiras,
rede colorida estendida e suco de lima, aqui está muito calor. rsrsrsrs...
Deus lhe guarde os caminhos.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Agradeço ao amigo e poeta José Domingos sua maravilhosa interação

MORRER DE AMOR...
Vi a morena brejeira a sorrir,
Cantarolar canções de amor
Vi seu pretendente encantado
Com o lindo cantar da morena

Ah! eu vi, jovens enamorados,
Como pombos arrulharem...
Vi em seus olhos, o brilho da paixão
Vi, como em seus peitos, batia coração

 Vi nos olhares dos amantes
Apaixonados, sorrindo de alegria,
-Ante ao primeiro beijo, o sim da amada

 Vi, o tempo apagar a chama da vida,
A lagrima sentida, ante a despedia,
Mas, nunca vi alguém morrer de amor...

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Agradeço ao Poeta Fernando Cunha Lima, seu carinhoso soneto
em homenagem à minha arte.

Visão das Tuas Costas

Das tuas costas imagino tudo,
Toda beleza que tens pela frente
Creio que não seria diferente
O mesmo toque na tez de veludo.

Tanto que espero, mas, porém, contudo,
Teu rosto fica sempre indiferente,
Nunca se mostra belo nem presente,
Apenas dizes se olhar me iludo.

Iludido estou e estarei
Por querer ver teu rosto pois não sei
Ou melhor não terei tanta certeza.

O que me aguça a imaginação
É querer ter teu rosto em minhas mãos
Para confirmar tua maior beleza.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
Sonya Azevedo
Enviado por Sonya Azevedo em 16/01/2020
Alterado em 23/02/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários