Sonya Azevedo
Essência em versos e prosas
Capa Textos Áudios E-books Perfil Livro de Visitas Contato
Textos

 

Meus Blogs

Jacintos da Alma

Nascentes de Luz

 

Agradeço aos amigos que aqui deixam seus mimos

em forma de poesia.

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

Aldrin M Félix

 

No afã de grande saudade,

Minha alma se enternece

Esquecida mais uma vez das mágoas,

Meu espírito vibra azul celeste

E por um instante no infinito anil

As boas recordações enaltece.

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

Solano Brum

 

EU E O VERSO

 

Não sei o que eu seria sem o verso

Ou mesmo qual a vida que eu teria!

Talvez, barco esquecido, submerso;

Folha seca arrastada na ventania!

 

Eu e ele, uma dupla em confraria;

Sol e lua, integrantes do Universo!

Sombra persistente durante o dia;

Milagrosas contas do meu terço!

 

Arte inspiradora, nos sentimentos

Que envolve as líricas dos Poetas;

Cantiga de Mamãe, inda no berço!

 

As letras, cerzidas com aviamentos,

Vestem-me, com as glórias prediletas,

Quando penso rabiscar um verso!

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

Poeta Olavo

 

Em quatorze rimas em linha

Meu soneto nasce e se inspira

Cada verso logo se avizinha

Com o grande amor que transpira.

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

Felipe Félix

 

A poesia é o que me move

Traz-me alívio as minhas dores

Como um bálsamo para o meu ser

Ela, a poesia, sempre me dá a razão de ser.

 

É na poesia que expresso meu querer

Meus temores e meus amores

Sem poesia a vida seria vazia

Nada faria sentido.

 

É na poesia que encontro sentido

Do porque a vida é tão bela

De que a felicidade somos né que a fazemos.

 

Sim a poesia é a extensão da vida

Nela encontramos a fonte de sabedoria

Para um existir plausível.

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

Humberto Cláudio

 

O Soneto

 

Pelo primeiro verso me arremeto,

Buscando a inspiração, então começo.

Cada palavra que aparece eu meço

E assim concluo meu primo quarteto.

 

Já no segundo, me atenho e prometo

Que vou seguir as regras. Obedeço

E sempre alerta, pra não ter tropeço

Termino a quadra e passo pro terceto.

 

Mais confiante agora, pois conheço

A estrada percorrida, não cometo

Nenhum deslize e, por fim, prevaleço.

 

Mas para arrematar o poemeto,

Com chave d' ouro é que me despeço

E assim é que termino o meu soneto.

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

Jacó Filho

 

LENDO SONETOS

 

Esqueça relógios, e limpe a mente,

Para apenas catorze versos curtos...

Não divague muito, e evite surtos...

Assuma a autoria, pra ir em frente...

 

Simule na alma o assunto e a cena...

Sinta por inteiro, estrofes e versos...

Em cada soneto, existe o universo,

Que o poeta pinta em tela pequena...

 

Sentidos ocultos só são percebidos,

Por quem se detém atento a leitura...

Então se revela das lindas gravuras,

 

Os segredos pelo autor, escondidos...

O sábio leitor, voa na mesma altura,

Que a águia planando sua aventura...

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

Serra Geral

 

Nos Meus Versos, Teu  Soneto

 

No que veem meus olhos, teus versos serenam

E não são apenas orvalhos e sim, gotas correntes

...Vertente, que vão, vão... e se espraiam

Escapam pelas gretas assoalhadas do tempo

Encharcam pensamentos

Relam, curando dores e tocam sublimemente, aos meus...

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

Dalmo Suares Dutra

 

Não preciso escandir

Mas prefiro usar rima

Cada verso faço em cima

Dessa rima sem medir

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

Sonia Nogueira

 

Mentes Poéticas

 

Quando percebi as palavras no tempo

Estavam nas mãos, no papel, na mente

Olhavam para mim, tímidas, presente

Acatei como simples passatempo

 

Fui navegando qual rio na enchente

Levando pedaços, remando dor

Fiz dos pontos, final de desamor

Das vírgulas, ponto sobrevivente

 

Uni as sílabas em frases divisas

Freando nos versos limite e rimas

Estrofes bailavam em odes balizas

 

A mente enamorada caiu no laço

Segui nos seus passos fontes e sinas

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

Gualberto Marques

 

A BELA POESIA 

 

Encantam-me versos que me embalam 

Na tristeza das noites de solidão.

Quais vozes angelicais, assim falam …

Cantando em amorosa saudação. 

 

Cada estrofe é qual epifania, 

Em que me doam sua Paz, Luz e Amor 

Adormeço até nascer novo dia 

A madrugada nos traz algum calor.

 

A Poesia é que faz viver meus sonhos... 

Neste “Mundo”, em que é rara a “Luz”,

Ainda se vive sem Paz e tristonhos.

 

Teus versos trazem-nos a Paz, que seduz,

Deixando-me confortado nos sonhos.

E com Esperança, aguardo Jesus.

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Sonya Azevedo
Enviado por Sonya Azevedo em 01/11/2021
Alterado em 04/12/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários